segunda-feira, 9 de abril de 2007

Duas Quadras

Não sei se tens reparado
Quando passeia, o luar
Pára sempre à tua porta
E encosta-se a chorar;

E eu que passo também
Na minha mágoa a cismar
Paro junto dele, e ficamos
Abraçados a chorar!

Florbela Espanca

2 comentários:

Paulo Sempre disse...

"Ó minha terra na planícei rasa,
Branca de sol e cai o luar,
Minha terra que nunca viu o mar
Onde tenho o meu pão e a mninha casa..." (Florbela Espanca)

PS:Flobela viveu em Vila Viçosa - Évora. Foi ai que encontro as sua paixões da mocidade...e o "eco" dos deus "gritos" na "sombra amarga" dos vendavais da solidão...

Bom Blog.
Paulo

Por uma lagrima disse...

"Eu a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte
Sou a irmã do sonho, e desta sorte
Sou a crucificada...a dolorida..."

Abelhinha de sonho